Olá, sou Ana Paula,

técnica de enfermagem há 10 anos. Sempre desejei cuidar de pessoas idosas, pois isso me satisfaz. Para mim, cuidar é amar o próximo. Como atendemos em domicilio passamos a conhecer mais o próximo, distinguir e entender cada pessoa como ela é. Cuidar das pessoas me torna mais humana. Antes de entrar nessa profissão eu era diferente. Hoje dou mais valor às pequenas coisas. A paciente com a qual mais me identifico tem 93 anos. É extrovertida e brincalhona, o que cria em mim mais amor por ela. Quando estou na minha casa sinto falta dela, como se ela fosse da minha família. Emociona-me quando termina o plantão, dou tchau e ela diz para eu não ir embora, para eu dormir ali. Ela sempre pede para eu ficar... Quando chego ao plantão ela fala: “nossa, graças a Deus você chegou”. Sou feliz com essa profissão que escolhi e me realizo nos momentos em que vivo com meus pacientes.

Oi, me chamo Elisa,

sou cuidadora há 12 anos e sempre gostei de fazer isso. Comecei cuidando do meu avô, depois cuidei da minha avó, então decidi fazer o curso de cuidadora, depois fiz o de técnica. Sinto que nasci para isso. Cuidar para mim é tudo! Gosto de cuidar com carinho, não só pelo o dinheiro, pois gosto do que faço. A paciente que mais me marcou tinha 75 anos e foi com quem aprendi muitas coisas. Apeguei-me muito àquela senhora e quando ela faleceu eu sofri muito, como se fosse alguém da minha família. Minha conexão com ela foi como seu eu a conhecesse há muito tempo. Éramos muito amigas, mais que apenas uma cuidadora e uma paciente. Eu viajava com ela, passávamos junto o natal, ano novo... Ela era católica, assim como eu. Ela comprava livros para me estimular. Assistíamos TV e iriamos para São Paulo, conhecer a TV Canção Nova. Ela era psicóloga, me analisava e preferia se banhar comigo... Era uma pessoa muito simples... Com ela aprendi a dar valor a tudo, agradecer por tudo e a valorizar cada centavo meu. Ela foi um anjo que mudou minha vida. Foi um encontro de almas. Sua doçura me fazia gostar ainda mais da minha profissão. Sempre que eu chegava ela falava: “obrigado Deus pelo meu anjo que chegou”. Se eu tivesse que resumir tudo em uma só palavra seria, gratidão!

Olá, me chamo Kerolayn,

sou cuidadora há cinco anos e nesse tempo tive experiências incríveis. Acredito que o dom de cuidar de outro ser humano, é um dom dado por Deus. Não tive só tive experiências, mas também vários aprendizados. Cuidar, para mim, é amar o próximo na prática. Uma pessoa que marcou a minha vida de maneira muito positiva foi uma senhora de 98 anos que, apesar de suas patologias, era extremamente feliz. Ela gostava das coisas simples da vida, como ver o céu, o sol, as flores, com muita gratidão. Sempre tinha que ter flores na sala dela. Ela gostava de tomar vinho e fazia questão de me ensinar coisas, como palavras novas, em outras línguas. Sempre me falava para estudar, contava histórias de vida incríveis, com uma felicidade espontânea, sempre muito animada. Aprendi a nunca me deixar abalar, nem desanimar. Foi muito enriquecedor. A hora do chá era sempre especial, riamos muito e brincávamos de tudo. Ela se sentia à vontade para falar comigo. Uma vez falou do marido, o que me marcou pela sua maneira linda e extremamente amorosa de falar! Aprendi a dar valor à vida, ao amor, às coisas simples. Aprendi que a felicidade sempre vem de dentro para fora...

Oi, meu nome é Jhonata, 

Fui cuidador por quatro anos, quando eu aprendi a ter amor, paciência e saber lidar com as pessoas. Pude fazer companhia e ser grande amigo de um homem bem realizado, até os últimos momentos dá vida dele. Suas realizações me motivaram a fazer as minhas grandes realizações. Ele lia bastante e me motivava a ler. Não podia faltar o seu sorvete... Eu o atendia nas necessidades que ele sozinho não conseguia. Eu fazia isso com presteza e amor ao próximo. Lembro-me dos seus banhos de sol. Mesmo com suas patologias sempre se mostrava bem. Eu evoluí na minha profissão e sou grato por ter sido útil na vida dele.

Carta Cuidador

Seguem aqui algumas cartas com depoimentos de cuidadores e cuidadoras, resultantes das entrevistas feitas antes de entrarem em nosso time.